sábado, 30 de outubro de 2010

Redes Sociais - uma nova ordem na cadeia de valor

Chris Hughes, co-fundador do Facebook, declarou que dentro de dois anos no máximo, “qualquer questão sobre qual rede social uma pessoa usa será irrelevante” porque todas as mídias serão sociais. Ou seja, não vamos ter outra linguagem ou forma de comunicação interativa que não seja através de uma rede social. Marque essa data – estamos em 2010. Em dezembro de 2009, foi publicado aqui no blog: 
- e já foi falado inclusive a respeito da morte do e-mail, um modelo que está fadado à pré-história. Puxa vida, só me falta descobrir um novo Facebook e ficar multimilionário, mas isso não precisa ser tão rápido, temos tempo.
Smartphones – são uma praga, é verdade. Não uso nem metade de tudo o que o meu oferece, mas isso vai mudar, pois as funcionalidades estão virando commodity – ou seja, cada vez que você trocava de celular por qualquer motivo, tinha que aprender tudo de novo e não dava tempo de assimilar tudo até a próxima troca. Só que eles estão ficando muito iguais, essa dificuldade está com os dias contados. Superada essa etapa e, no caso do Brasil, o custo com internet para smartphones ficar ainda mais acessível, um candidato a virar “tiozinho” é o notebook.  Logo, vamos poder acessar do celular o site do nosso jornal preferido e ver os artigos mais acessados...por amigos, colegas de trabalho, o chefe. Que tal?
Head Hunters usando o Linked In em entrevistas de seleção, as campanhas de coalizão em eleições majoritárias nos países e bandidos brasileiros em presídios usando o MSN dos Blackbarries para driblar grampos telefônicos da polícia – isso nos diz o que?  Redes sociais deixaram de ser, há algum tempo, “coisa de quem mata tempo no escritório ou fica fazendo hora na internet com futilidades”. Lembre-se de que, se você pensa assim, seus filhos não pensam. E isso é o mesmo que negar os riscos de um mundo por eles habitado e amplamente frequentado sem que você esteja por perto ou demonstre ao menos interesse. Se isso acontecer, você e sua família correm perigo.   

Um comentário:

  1. Dani,

    Repita comigo: não trema em cima da linguiça!

    1 abç, Alex.

    ResponderExcluir